quarta-feira, 26 de julho de 2017

ESCOLA DJALMA BATISTA PASSA POR REFORMA

Escola Djalma Batista

O Governo do Estado do Acre através a Secretaria de Educação, iniciou uma reforma na Escola de Ensino Médio Djalma da Cunha Batista de Tarauacá.


Troca do Piso da Escola
As melhorias incluem a instalação de um novo piso em todas as salas e no pátio, substituição de toda a rede elétrica e troca da cobertura do auditório da escola. 

Auditório receberá nova cobertura
De acordo com o Senhor Antônio Carlos, encarregado da obra, os serviços devem durar cerca de 2 meses. 

obras prevista para 2 meses
As escolas da rede estadual em Tarauacá estão de recesso por duas semanas. 

Obras do governo do estado
O Diretor Professor Ivonaldo Benigno disse que a reforma veio em boa hora. “Todos os investimentos destinados às melhorias do ambiente de trabalho dos profissionais da educação e das condições de estudos dos nossos alunos devem ser recebidos com satisfação pela nossa comunidade escolar. O próximo passo é a climatização de nossas salas de aula”, pontuou o diretor.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

FESTIVAL ESTUDANTIL DA CANÇÃO ACONTECE HOJE NA ESCOLA DJALMA BATISTA


Acontecerá na noite desta sexta feira, 21 de julho, a grande semifinal do Festival da Canção Estudantil – FEC/2017, promovido pelo Governo do Estado do Acre, com apoio de parceiros locais. Estudantes cantores e cantoras das escolas de ensino Médio Djalma Batista, João Ribeiro (EJA) e Instituto Federal do Acre – IFAC, estarão disputando duas vagas para a final em Rio Branco no mês de agosto. O FEC acontece com a participação dos 22 municípios acreanos.


Em Tarauacá o evento será realizado no pátio da Escola Estadual Djalma Batista com início previsto para as 19 horas.
FEC

O festival é o maior movimento cultural estudantil do Acre. Ele tem se consolidado no calendário acadêmico da região e revelado novos talentos em diferentes categorias artísticas.

A festa é uma realização do governo do Estado, por meio da Secretaria Estadual de Educação e Esporte (SEE) e da prefeitura de Rio Branco, por meio da Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour (FEM) e da Assessoria de Juventude (Assejuv).

Em Tarauacá o evento tem apoio da Prefeitura Municipal, Sindicato dos Trabalhadores em Educação, Núcleo Estadual de Educação, Rádio Comunitária Nova Era FM, Núcleo da FEM e Rádio difusora AM.

Portal Tarauacá

Ciência Itinerante leva cultura e conhecimento para Tarauacá


O Ciência Itinerante é uma modalidade da Mostra Viver Ciência que leva cultura e conhecimento aos municípios acreanos. Esta semana, as atividades foram realizadas na escola Djalma da Cunha Batista, de ensino médio, no município de Tarauacá.

Todas as escolas estaduais e municipais estiveram presentes durante a apresentação dos trabalhos, levando milhares de pessoas aos estandes e proporcionando às pessoas aumentar o leque de conhecimento e de possibilidades, mostrando que a ciência é algo para todos.

O planetário foi, de longe, o espaço mais visitado, levando milhares de alunos e comunidade em geral, a conhecer um pouco mais sobre as estrelas, sobre o planeta Terra, as constelações e o sol. É possível, saber, por exemplo, que muitas estrelas já não existem mais o que vemos é apenas o seu brilho.

Outra forma dos visitantes adquirir mais conhecimentos são as oficinas. A de programação de jogos, por exemplo, ensina os estudantes a fazer seus próprios jogos, tornando-os protagonistas do processo de criação. Outra é a de produção de vídeos, que ensina como utilizar da melhor maneira os recursos do celular.

O espaço do Ciência Divertida mostra uma forma lúdica de alunos e professores realizar a aprendizagem, sobretudo em matemática e física. Essas atividades podem, perfeitamente, serem realizadas no dia-a-dia em sala de aula.

Quem também participa diretamente das atividades é a equipe do Instituto de Matemática, Ciência e Filosofia (IMCF), que além de demonstrações de jogos, possibilita aos visitantes uma iniciação ao xadrez, um jogo que despertar a utilização da memória e do raciocínio.

Fonte:SEE/AC

terça-feira, 18 de julho de 2017

ESCOLA DJALMA BATISTA RECEBE VIVER CIÊNCIA ITINERANTE NESTA QUARTA E QUINTA.


Tarauacá recebe nesta quarta e quinta-feira, 19 e 20, a 1ª edição da Viver Ciência Itinerante. O projeto que será realizado na Escola Djalma Batista, é uma extensão da Mostra de Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação (Viver Ciência).


O evento iniciará as 7 horas em ato solene de abertura com a participação do Secretário Estadual de Educação, educadores, estudantes e comunidade Tarauacá e contará com exposições científicas, oficinas, planetário e atividades de matemática divertida, além de ações dos programas Brincando com a Ciência, Saúde na Ciência e o Cine Ciência.


As atividades serão realizadas na Escola Djalma Batista.

Programação

No segundo dia de evento as atividades serão realizadas durante todo o dia. A abertura para o público será a partir das 7h e vai até as 17h30.

A extensão da mostra é uma forma de levar conhecimento, informação e cultura aos moradores de diversas localidades do estado. Além de Brasileia, Tarauacá e Sena Madureira também irão receber edições do Viver Ciência Itinerante, ainda este ano.
Viver Ciência

A Viver Ciência é maior evento científico da educação básica do Acre e aposta na força jovem para a garantia de um futuro melhor. Tem como principal meta valorizar e instigar as produções científicas, tecnológicas e culturais das instituições de ensino do Acre.

com informações do Portal Tarauacá

domingo, 16 de julho de 2017

SERVIDORES DA ESCOLA DJALMA BATISTA SE FORMAM EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA


A Equipe Gestora da Escola Djalma Batista através do Diretor Professor José Ivonaldo Benigno, vem a publico manifestar sua satisfação pela formatura de três dos seus servidores do quadro administrativo da unidade, Erisvaldo Torquato, Francimar Daniel e Maria do Carmo Barbosa. Eles se formaram em Nível superior na área de Administração Pública, em ato solene realizado na última quarta feira, 12 de julho, pela Universidade Federal do Amazonas.

Ex Diretor Francisco Sousa - Moço)

A direção registra ainda a formatura também do ex-diretor Professor Francisco da Silva de Souza (Moço). 

sábado, 15 de julho de 2017

Alunos revivem Semana de Arte Moderna na Escola Djalma da Cunha Batista.


Buscando incentivar o estudo da arte e o despertar artístico dos alunos, foi realizada nessa sexta-feira a exposição Semana de Arte Moderna de 1922, com os alunos do 3º ano. 

O evento teve como objetivo conduzir os alunos em especial os do 3ª ano, para quem a temática explorada na atividade constitui conteúdo curricular – ao estreitamento de seus laços afetivos e intelectuais com as expressões artísticas modernistas, que promoveram uma grande discussão sobre nossa identidade cultural, em 1922.

Na abertura foi realizada uma palestra dos alunos sobre a Semana de Arte Moderna e ainda foram feitas declamações de poemas de Manuel Bandeira – Os sapos e de Oswald de Andrade – Ode ao Burguês. Também tivemos apresentações de obras produzidas pelos alunos sobre os principais artistas que expuseram na Semana de Arte Moderna de 1922 e apresentadas para os alunos do 1º e 2º ano, propondo uma interpretação relacionada com o objetivo da época, conteúdo este explorado pela professora Márcia Mourão em sala de aula.

O evento contou com apoio da Direção da escola.


O que foi a Semana de Arte Moderna?

A semana de arte moderna foi uma exposição organizada por artistas de vanguarda que aconteceu na cidade de São Paulo e influenciou na formação de um novo conceito de arte brasileira e consequentemente no ensino de artes nas escolas.

Entre 1900 e 1929, a Europa passava por um período de efervescência cultural, com manifestações artísticas que rompiam conceitos tradicionais, como o expressionismo alemão, o cubismo, a pintura abstrata, o dadaísmo e o surrealismo. Muitos pintores brasileiros viajaram a fim de conhecer novas formas de expressão e, ao retornar para o Brasil, trouxeram essas novas concepções estéticas.

O estopim para a explosão do modernismo foi o regresso de Anita Malfatti dos Estados Unidos após ter estudado Pintura. Na ocasião de sua volta, por instistência de amigos, fez uma exposição que recebeu muitas críticas, entre elas de Monteiro Lobato, que era crítico de arte do jornal Folha de São Paulo. O artigo causou muita polêmica e, a partir de então, consolidou-se um grupo de interessados em produzir uma arte renovadora. No artigo denominado “Paranoia ou Mistificação”, Lobato é implacável. 

Como resultado, de 13 a 17 de fevereiro de 1922, realizou-se no Teatro Municipal de São Paulo, a Semana de Arte Moderna, na qual os artistas defendiam a liberdade e a incorporação das modernas formas de expressão do “estrangeiro” — não para copiá-las, mas para recriá-las de maneira própria. Sobre isso, Mário de Andrade afirmaria em 1928 que “a devoração cultural das técnicas importadas para re-elaborá-las com autonomia, convertendo-as em produto de exportação”. Ainda, a autêntica expressão artística brasileira deveria conter elementos dos diferentes “brasis”: o rural e o urbano, o antigo e o moderno, etc.

A exposição, com o apoio de influentes políticos e miliónários do café, contava com cerca de 100 obras, entre pintura e escultura, dispersas pelo saguão do teatro e três noites literário-musicais. As pinturas e esculturas provocaram reação de espanto por parte do público, enquanto as sessões de música e poesia eram vaiadas.

A Semana de Arte representou a independência cultural brasileira, pois despertou a consciência artística nacional para a produção de uma arte mais comprometida com as coisas do país.


































































DESTAQUE

ESCOLA DJALMA BATISTA PREMIA ALUNOS DESTAQUES DO ANO

A Escola Estadual de Ensino Médio Djalma Batista viveu uma noite de festa na última sexta feira, 15 de dezembro, com a realização de u...

MAIS VISITADAS